artigos sobre evolução



Complexidade e profundidade dinâmica

2014

Complexity & Dynamical Depth

versão original em inglês

CLIQUE AQUI



Escrito em parceria com Spyridon Koutroufinis, professor da Universidade de Berlin, o artigo explora os diferentes níveis em que se evidencia a dinâmica da auto-organização, desde sistemas físicos básicos, onde a segunda lei da termodinâmica se faz valer e a compreensão do sistema apresenta-se como uma função inversa à entropia, até sistemas vivos, que parecem reger o ritmo e as tendências dos processos auto-organizados sem nunca fixar um estado atrator final.


O texto percorre os níveis identificados por Deacon – a saber, o homeodinâmico, o morfodinâmico e o ortodinâmico, que propiciam a emergência da teleodinâmica de sistemas auto-referentes como a vida e a mente humana, e busca construir uma base explicativa para a emergência de estados intencionais.
Faz uma crítica aos critérios de avaliação dos níveis de complexidade dos sistemas, por não levarem em conta a diretriz das ordens e desordens, ou seja, das restrições que os sistemas se impõem e da alteração na qualidade teleológica destas restrições à medida que os níveis se realizam hierarquicamente. É como se a complexidade fosse basicamente a medida inversa da capacidade de compreensão de um sistema, sem levar em conta sua história gerativa e de atribuição de funções.